Transformar conhecimento em valor económico
28 Out'16 | Porto

Transformar conhecimento em valor económico

A bastonária foi conhecer a incubadora de empresas da Universidade do Porto - UPTEC-Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto - para perceber os apoios da Academia ao desenvolvimento de ideias e projetos inovadores, nomeadamente na área da Saúde e das Ciências da Vida. Ana Paula Martins visitou as instalações de uma das empresas fundadas por jovens farmacêuticos empreendedores, a Inovapotek.
[A acompanhar a bastonária na visita ao UPTEC estiveram o presidente da Secção Regional do Norte, Franklim Marques, e o professor da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Jorge Gonçalves, diretor do UPTEC entre 2006 e 2014, enquanto vice-reitor da UP com o pelouro da Investigação e Desenvolvimento]

Não passaram ainda dez anos desde que o UPTEC abriu as suas portas para ajudar a desenvolver ideias e projetos empresariais nas mais diversas áreas de atividade. Desde então foram apoiados mais de 350 projetos que criaram quase 2.000 novos postos de trabalho.

A lista de espera para entrada nesta incubadora da UP é grande, revela o presidente do UPTEC, José Novais Barbosa, que confessa também a dificuldade de avaliação das candidaturas, fundamentalmente pela subjetividade da análise sobre o potencial das ideias de negócio apresentadas.

A estratégia passa por estimular a criação de empresas de base tecnológica e atrair centros de inovação, acolhendo também alguns projetos-âncora cuja atividade se encaixa nas perspetivas de crescimento do UPTEC e que podem também ajudar a dar visibilidade ao parque tecnológico. Além de ser uma incubadora de empresas startup, o UPTEC é também um dos 16 centros de incubação da Agência Espacial Europeia.

Conforme explicou o presidente do UPTEC durante a visita da bastonária às instalações no Campus Universitário da Asprela, as empresas reconhecem que os processos de inovação são complexos, pelo que externalizam essa atividade para se ligarem a outras empresas, startups, incubadoras e centros de inovação. Daí a presença no UPTEC de algumas multinacionais, que tomaram decisões estratégicas de deslocalizar os seus centros de I&D para locais que promovem a partilha de conhecimentos e o desenvolvimento de ideias.

Atualmente, o UPTEC está organizado por polos temáticos – Tecnologias, Ideias Criativas, Biotecnologia e Mar –, situados em diferentes zonas da cidade do Porto, mas cada um deles com proximidade a outras infraestruturas e equipamentos relacionados com as respetivas áreas de atividade.

Em conversa com os dirigentes da OF, Novais Barbosa revelou também o desejo de desenvolver ainda mais a área da Biotecnologia, tendo sido recentemente estabelecido, com essa finalidade, uma parceira com o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S).

A bastonária explicou, por sua vez, que embora a profissão farmacêutica esteja tradicionalmente associada às atividades assistenciais, foi sempre pioneira na investigação e desenvolvimento de novas tecnologias de saúde, nomeadamente ao nível da Indústria e centros de investigação, seja no domínio do medicamento, dos dispositivos médicos ou na área analítica.

Ana Paula Martins considerou fundamental "acarinhar os nossos jovens farmacêuticos empreendedores” que querem evoluir noutros sentidos e seguir novas áreas emergentes das ciências da saúde”, recordando, em especial, que mais de 40 por cento dos farmacêuticos portugueses têm menos de 35 anos.

Face à atual conjuntura marcada por dificuldades no acesso ao mercado de trabalho e condições salariais precárias em alguns ramos tradicionais da atividade farmacêutica, são cada vez mais os jovens farmacêuticos que abraçam oportunidades em novas áreas de intervenção e que ousam concretizar uma ideia ou um projeto inovador.

Para a bastonária, o Estado, a Academia e as estruturas representativas da profissão devem acompanhar estas novas tendências no mercado laboral e apoiar a transição entre a vida estudantil e profissional, seja no processo de procura de emprego seja na criação de emprego próprio.

Após a apresentação formal dos responsáveis do UPTEC, os dirigentes da OF foram informados de exemplos de projetos empresariais com potencial para aplicação na área farmacêutica.

No caso da Virtusai, que se dedica ao desenvolvimento de sensores para controlo de métricas ambientais na indústria alimentar, os responsáveis acreditam que esta tecnologia pode ser muito útil em empresas ligadas à produção e distribuição de produtos farmacêuticos que necessitam de determinado tipo de acondicionamento.



A bastonária visitou uma das empresas fundadas por farmacêuticos que estão sedeadas no UPTEC

INOVAPOTEK

De um modo mais aprofundado e envolvendo também uma visita às instalações da empresa, foi também apresentada a atividade da Inovapotek, uma spin-off da Universidade do Porto fundada há oito anos por dois jovens farmacêuticos investigadores do Departamento de Tecnologia Farmacêutica da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Marta de Oliveira Ferreira e Bruno Sarmento.

A empresa presta serviços de consultoria, investigação, desenvolvimento e realização de testes para a indústria cosmética – estudos de estabilidade, desenvolvimento de formulações, ensaios de qualidade, eficácia e de segurança –, tendo também como clientes grandes companhias farmacêuticas, dos dispositivos médicos e dos suplementos alimentares.

Ao apresentar a sua empresa, Marta de Oliveira Ferreira explica que os clientes da Inovapotek procuram validar cientificamente determinadas alegações que pretendem para os seus produtos, pelo que recorrem ao know-how da empresa não só para o desenvolvimento e validação de métodos analíticos, como também na área regulamentar, disponibilizando apoio e acompanhamento de todo o processo junto das autoridades.

A elevada procura destes serviços foi determinante para o crescimento da empresa e para o seu processo de internacionalização, operando atualmente em 25 países.

Na visita às instalações da Inovapotek, situadas no edifício central do UPTEC, no Campus Universitário da Asprela, a bastonária passou pelas diferentes áreas e departamentos da empresa, conheceu parte da equipa de colaboradores e contactou também com uma das voluntárias de um estudo em curso.

No final desta visita, Ana Paula Martins reconheceu o importante impulso dado pelo UPTEC ao crescimento de jovens empresas e valorizou a capacidade empreendedora desta nova geração de profissionais.

A bastonária confessou-se orgulhosa com o sucesso alcançado por algumas empresas farmacêuticas que emergiram do habitat criado pelo UPTEC, saudando os responsáveis de empresas como a Inovapotek, pela perseverança, dedicação e exemplo que dão para que muitos outros jovens farmacêuticos possam também concretizar o seu sonho, seja nas áreas tradicionais da atividade farmacêutica seja desbravando caminhos em áreas emergentes da profissão.

Outros Locais Visitados

28 Out'16 | Porto Inovapotek